ILIB

O envelhecimento precoce tem tirado seu sossego? Um dos fatores envolvidos nesse processo é a oxidação celular, provocada pelos Radicais Livres (RL) que geram lesões à nível bioquímico, que resultam em doenças crônicas e degenerativas.

Para combater o efeito destrutivo dos RL, o organismo luta naturalmente utilizando enzimas, proteínas e outros compostos para promover o equilíbrio dinâmico, também conhecido como homeostase.

img_ilib_tregge_2016

Em alguns casos esse sistema pode não ser eficaz, necessitando de medicamentos, seja para complementar o déficit ou para promover a eliminação dos excessos dos RL. O laser tem sido um recurso terapêutico eficaz, sem a necessidade de medicação.

Os russos desenvolveram em 1970 o laser (Light Amplification By Stimulated Emission Of Radiation) de He-Ne local, com resultados significativos na diminuição dos RL, melhorando o quadro clínico das mais variadas doenças. O único inconveniente é que era aplicado por meio de uma agulha intravascular.

Um dos efeitos mais importantes é como antioxidante, por meio da estimulação da enzima Superóxido Dismutase (SOD). No caso de haver deficiência da SOD teremos lesões de tecidos como: cardíaco, vascular, pulmonar, pancreático, articular, levando a lesões degenerativas.

Ou seja, a SOD tem efeito desintoxicante por meio da neutralização dos RL. Além de inativar as espécies reativas de oxigênio, levando à proteção das células contra mutações genéticas e o envelhecimento.

Recentemente os aparelhos de Laserterapia se modernizaram, e essa terapêutica têm revolucionado os atendimentos nas mais diversas áreas da saúde. O “Intravascular Laser Irradiation Of Blood “(ILIB) dá-se no sistema circulatório, com a aplicação do laser na artéria radial, pela pele com o auxílio de uma pulseira. Essa modernização, atualizou seu nome para ILIB MODIFICADO, uma vez que se descobriu que o laser atua de forma profunda, sem a necessidade da aplicação invasiva.

O ILIB melhora da capacidade hemorreológica das hemácias, influencia na cascata do ácido araquidônico (efeitos anti-inflamatórios) e favorece uma maior produção de prostaciclinas (anti-agregação plaquetária) que propicia um sangue mais fluído, amenizando os problemas circulatórios. Traduzindo esses nomes técnicos todos, o ILIB pode ser utilizado para tratar doenças do sistema respiratório, doenças inflamatórias, alterações cardiovasculares, sistema circulatório periférico e diabetes.

O objetivo do tratamento é equilibrar o sistema como um todo, para otimizar as funções do organismo, favorecendo a homeostase. O melhor de tudo é que além desses benefícios, o ILIB é uma opção terapêutica eficaz e segura. E por usar o laser de baixa potência, não apresenta contraindicações significativas (apenas gestantes, portadores de marca passo, câncer de pele no local da aplicação, fotossensibilidade, não podem receber a técnica).